Diário de Escrita #1

tumblr_nfsd4563sz1sp22ovo1_500Só consigo trabalhar com prazos, porque me planejo para conseguir alcançar a meta até a data. Meu prazo com a editora normalmente é diferente do meu prazo pessoal para terminar o primeiro rascunho, porque sempre, sempre, sempre tem um monte de modificações para fazer, erros de continuidade em cena, diálogos que ficam soltos e estranhos, dentre outras coisas.

E meu prazo pessoal foi dia 31/01, o que, HAHAAH, nem cheguei perto de fazer. O problema é que eu só consigo avançar com a história quando sinto que o início está certo e, desde novembro, mais ou menos, eu venho tentando diferentes abordagens para o início, sem muito sucesso. Algumas pareceram promissoras, principalmente durante janeiro, mas descobri quando eu já tinha quase 10 mil palavras que não estava tão bom assim. Eu nunca apago esses inícios, então algumas ideias de cena ou diálogos ou descrições são reaproveitadas no rascunho que vai para frente.

Desde que encontrei o início certo e passei da primeira “montanha”, que são mais ou menos as primeiras 15 mil palavras para mim, estou sendo extremamente produtiva. Apesar de ser um livro tenso, com algumas cenas que demandam uma carga emocional, estou impressionada com a velocidade em que a história está saindo para o papel. Segundo os meus planos, ele deve estar pronto até o início de março, o que significa que estou fazendo metas um tantinho puxadas para conseguir alcançá-lo. Minha meta é de 2000 palavras por dia, todos os dias, e foi bem difícil quando eu comecei. Eu comecei fazendo 500 ou 1000, ficando frustrada e adicionando mais palavras para a meta do dia seguinte.

Mas depois de uma semana assim, escrevendo números crescentes de palavras a cada dia, eu cheguei nos 2000. E aí cheguei nos 3000. Aparentemente um pouco mais de 3000 palavras é o máximo que consigo fazer no dia sem meu cérebro fritar e eu esquecer o que são palavras, mesmo que eu saiba o que aconteça a seguir, mesmo que eu tenha exatamente como a história vai progredir na minha cabeça. Mas isso é muito. Eu nunca consegui escrever tanto na minha vida como estou fazendo nos últimos tempos.

Estou tão espantada com esse surto de produtividade aleatório que comecei a pensar no que estou fazendo diferente.  Enfim, alguns meses atrás eu li esse ebook de escrita, mais especificamente a parte chamada “10k por dia”. A autora explica como foi o processo dela até conseguir escrever 10 mil palavras por dia e, embora cada autor tenha um processo diferente, eu peguei algumas coisas do que ela fez e, agora, estou vendo resultados. Mas não é só isso, acho que são fatores e EU VOU ENUMERAR PRA VOCÊS AQUI E AGORA, VOCÊS QUERENDO OU NÃO.

  • Determinar metas e distribuir o trabalho igualmente: eu faço isso com estudo e com escrita, principalmente. Dividir a tarefa em partes menores, que ocupam menos tempo diariamente, e tentar se dedicar exclusivamente para aquela tarefa faz com que você execute tudo antes do seu prazo. Eu também sou uma pessoa bem visual, então eu tenho um quadro na minha parede em que coloco as datas em que devo atingir cada meta. Aqui está ele:

  • Escrever as cenas que você pretende elaborar no dia/semana antes de sentar para trabalhar: Essa é uma dica preciosa do 10k a day que comecei a fazer só no meio de A Ameaça Invisível e, nesse terceiro livro, estou utilizando sempre. Antes de começar o trabalho, eu sento e penso na sequencia lógica de cenas que vem a seguir, só três ou quatro, e em como vou elaborá-las. A maior parte do processo de escrever acontece antes de você colocar as palavras no papel e, ao fazer isso, você basicamente só coloca as palavras no papel, porque o processo mental de elaborar os acontecimentos e pensar nas palavras que vai usar já aconteceu. (E isso é o que mais toma tempo quando você vai escrever)

MEU DEUS O QUE VEM DEPOIS DESSA CENA!?!?!?!?

  • Anotar seu progresso: Isso é algo que faço desde A Ilha dos Dissidentes, mas dessa vez estou sendo bem mais específica. Eu tenho um caderno em que anoto datas, o horário que comecei a escrever e quantas palavras escrevi naquele intervalo de tempo. Eu amo dados, então isso é interessante para perceber quando sou mais produtiva, em que tipo de cena escrevo com maior rapidez (ok, essa eu já sabia: romance), que tipo de distração me faz ser menos produtiva (estou olhando para você, tumblr), dentre outras coisas. Com isso, consigo otimizar meu tempo e escrever bem e relativamente rápido sem muitas dores.

“Não! Mais nenhuma palavra!”

  • Vida social? O que é isso?: Aqui é quando eu mando a real: eu só estou conseguindo escrever tanto assim porque, apesar de estar de férias, só estou interagindo com seres humanos que não são minha família pelo whatsapp e pelo twitter durante a semana. Até a minha família aprendeu que quando eu digo que vou trabalhar, só me levanto e dou atenção nos meus momentos de folga. Você precisa saber dosar esses momentos, porém, ou você acaba ficando louca. Aliás, minha família é um amor com isso, porque eles entendem a minha necessidade de foco e, tirando o jantar ou uma demanda ou outra, me deixam em paz para poder dedicar as 300 horas diárias que o livro precisa.

“Você está viva.” — Meus amigos, quando me vêem depois de semanas.

  • #Foco, #fé e #força: ahahah, tá, é só foco que importa aqui. Nós normalmente achamos que conseguimos fazer 150 coisas ao mesmo tempo, escrever, olhar no celular, falar no telefone, mexer no twitter, sendo que só estamos tentando fazer 150 coisas diferentes, sem que elas sejam feitas bem. Eu comecei a me “desligar” de tudo quando sento para escrever. Meu celular fica longe e eu baixei, inicialmente, um app para o chrome que bloqueia sites selecionados por um período ode tempo pré-determinado. No início da minha jornada, eu só escrevia se ligasse ele, porque não conseguia sair dos sites que sempre frequento, mas agora, eu nem lembro que ele existe. Eu abro o word, escrevo o que tenho que escrever e só nas minhas folgas eu entro no FB, twitter e no IO9. Isso ajudou muito a aumentar minha produtividade e criou um hábito muito bom, no final.

    Por que meus braços estão tão fracos? (Retrato real de mim no final de um dia)

  • Escrever bêbada, editar sóbria: a citação é do Hemingway e não quer dizer que eu fique bêbada para escrever, mas sim que escrevo sem preocupações, só colocando as cenas como imagino no papel numa sequência mais ou menos lógica. Eu já sei um monte de coisas que vou ter que arrumar e estou em mais ou menos 1/3 da história, mas o meu único sentido é para frente. Só vou voltar e arrumar todos os problemas depois que eu terminar, passar uma semana no sofá assistindo anime ruim e pensando no que a história precisa para ficar melhor.

Essa serei eu durante as revisões, em breve.

  • É o último da trilogia: não me entendam errado, porque eu amo a Sybil e companhia (omg tem uma personagem nesse último livro que eu amo muito, muito, muito, mas não posso falar quem é), mas um dos motivos de eu estar tão empolgada é que está acabando. Todas as coisinhas que inseri nos outros dois livros estão se amarrando para chegar ao espetacular fim da série e isso é tão empolgante. Me dá mais vontade de escrever e acabar logo, para dar todos os ajustes e fechar a história de uma vez. Talvez, só talvez uma senhorita chamada Marina e um senhor chamado David estejam envolvidos nessa empolgação pelo fim, MAS eu diria que é intriga da oposição. (Ah, pelo amor de Deus, Marina, se comporte ou eu escrevo a Mira antes)

    É ASSIM QUE EU ME SINTO ESCREVENDO O TERCEIRO LIVRO

Eu acho que é isso. É um conjunto de fatores que funcionaram muito bem para MIM, mas cada escritor tem seus processos. Acho que uma das partes importantes para quem quer ser escritor é saber como os outros funcionam e tentar novas abordagens, então esse post pode ser útil para alguém.

Se não, vocês pelo menos se divertiram com a minha montagem linda feita no paint.

Até semana que vem 😀

4 Comments

  1. Me ensina a ser você
    A única coisa que eu consigo fazer é rir da minha própria cara quando me imponho prazos
    QUALQUER prazo

  2. Como eu tenho problema de coluna, não posso ficar sentada muito tempo. Então coloco em ação o método Pomodoro que me faz sair da cadeira a cada 35 minutos. Aumento se for uma tarefa gostosa, ponho 25 minutos se for coisa chata.

    Antes eu passava uma noite inteira, madrugada toda, manhã, escrevendo. Hoje eu não consigo mais fazer isso, minha coluna me cobra descanso.

    Além do Pomodoro, eu fecho todas as redes sociais e coloco o celular no silencioso. Deixo o app do cronômetro dele rolando e sento pra escrever. A menos que eu tenha que terminar a ideia e fechar a frase, eu passo alguns minutos, mas me controlo para sempre me manter no ritmo. Ninguém quer ficar com dor nas costas depois. rs

    Ótimas dicas, Bárbara! Preciso fazer como você e me impor um teto de palavras todos os dias. Isso tem sido bem difícil. Bejas!

  3. Qual é esse aplicativo que bloqueia sites selecionado por tempo pré-determinado?

Leave a Reply

Your email address will not be published.

*


Warning: fsockopen() [function.fsockopen]: php_network_getaddresses: getaddrinfo failed: Name or service not known in /home/barba425/public_html/wp-content/plugins/sweetcaptcha-revolutionary-free-captcha-service/library/sweetcaptcha.php on line 81

Warning: fsockopen() [function.fsockopen]: unable to connect to www.sweetcaptcha.com:80 (php_network_getaddresses: getaddrinfo failed: Name or service not known) in /home/barba425/public_html/wp-content/plugins/sweetcaptcha-revolutionary-free-captcha-service/library/sweetcaptcha.php on line 81

© 2017

Theme by Anders NorenUp ↑