Questões Gerais

1) Ahhh, quando sai seu próximo livro, para eu poder me programar?

Como eu me formei e comecei a trabalhar full-time em coisas não relacionadas a escrita, o processo de escrever livros atrasou um tiquinho. Mas estou trabalhando nas minhas próximas obras e quando eu tiver notícias, aviso!

2) Você poderia vir para [insira lugar aqui]??
Como não lanço livros desde Retomada, só consigo ir para eventos em Feiras Literárias e outros eventos do tipo! Conforme eu tiver uma agenda bem definida, vou atualizando aqui no site.

3) Sobre o que é seu próximo livro??? É no mundo de anômalos?

O mundo editorial é muito louco então não posso falar nada sobre o que estou trabalhando!! Mas posso garantir que não é dentro do mundo de anômalos, é uma aventura completamente nova 🙂

Anômalos

1) QUANDO SAI O TERCEIRO!?!?!?

Ele já saiu!! Você pode ver onde comprar aqui.

2) Da onde você tirou a ideia dessa história?

A ideia da história de Sybil surgiu em uma aula de Ciências Políticas em que estávamos vendo definições de Estado. Com isso, comecei a refletir sobre as situações recentes de segregação e sobre como algumas situações extremas podiam alterar esses conceitos. Um Estado ainda é legítimo se segrega uma grande parte da sua população? A África do Sul, durante o apartheid, os Estados Unidos até o fim da década de 60, as guerras civis na África (aqui vem um filme! assistam Hotel Ruanda)… tudo isso é história vergonhosamente recente e ninguém questionou a soberania desses Estados (na maior parte dos casos). Foi um movimento interno, das pessoas que viviam nessas situações, que forçou uma ruptura e uma troca de governo. E não é só nas situações extremas em que isso se aplica, nós vivemos com preconceito diariamente, seja velado ou não, e ainda estamos longe de uma sociedade igualitária. Esse é um fator importante a ser discutido, ainda mais se acrescentarmos super poderes para ficar mais divertido.

3) Por que Distopia?

Por que não escrever distopia? Ahahaha. Eu gosto muito de brincar com hipóteses e adoro ler livros distópicos. “1984” é um dos meus livros favoritos de todos os tempos e quando o li, marcava citações e ficava fazendo conexões com as coisas mais aleatórias da vida. “Admirável mundo novo” também foi uma leitura que gostei mundo, embora a tenha feito muito antes de “1984”, quando ainda estava no ensino médio. Também gosto muito desses títulos juvenis que começaram a sair, como “Jogos Vorazes” e “A Seleção”. Essas sociedades futuristas em que “tudo deu errado” na verdade se parecem muito com as nossas e esses livros servem como aviso ou como empoderamento para nós.

4) Algum dos personagens de AIDD foi inspirado em alguém da vida real?

Diretamente, não. Mas alguns deles tem traços e características individuais minhas e de pessoas que eu conheço.

5) Qual o seu personagem favorito?

Dorian, o gato da Rubi. (ahaha, brincadeira!)

6) Cenas de ação! Elas são incríveis!

Valeu. Leia Bernard Corwnell!!! As cenas de ação dele são fenomenais e fizeram parte da minha formação como leitora.

7) Você gosta de Jogos Vorazes? E de X-Men?

Adoro os dois!

8) Por que algumas pessoas chamam Anômalos de MutantDudes? E por que em alguns lugares da internet a trilogia se chama Escolhidos?

Bem, enquanto eu escrevia AIDD, o nome do projeto era MutantDudes e eu frequentemente me referia a ele no twitter, onde sou muito assídua. Para as pessoas que me acompanham desde aí, o livro é conhecido como MutantDudes. Depois, quando fomos decidir um título, eu e a Gui chegamos em Escolhidos – A Inserção (que não era um título muito bom, convenhamos). Mas quando fechei com a Gutenberg, eles já tinham um título internacional chamado Os Escolhidos de Gaia, então sugeriram a mudança. Até então, os anômalos não eram anômalos e foi só durante as edições que mudamos esse termo. O nome A Ilha dos Dissidentes foi decidido em conjunto com a editora!

9) VOCÊ TERMINOU O TERCEIRO LIVRO??? E AGORA??? VAMOS TER MAIS LIVROS DE ANÔMALOS???

Sim, a trilogia finalmente terminou!!! Não, não há previsão para mais nenhum livro dentro do mundo de anômalos por enquanto. Atualmente estou trabalhando em outros projetos, outras histórias, outros mundos! 🙂  Mas eu mantenho vocês informados caso algo mude.

Escrita

1) Qual o seu processo de escrita?

A ideia surge do nada, nas situações mais esquisitas (na aula, dirigindo, passeando com o cachorro, tomando banho) e vai crescendo na minha cabeça. Algumas ficam, outras não. As que ficam por algum tempo vão parar num caderno para que eu não esqueça delas. Depois de escrever a ideia inicial, eu escrevo alguns capítulos até descobrir qual é a voz e a forma certa de narrar. Quando acho que peguei o jeito da história, eu sento para fazer um planejamento de cenas importantes e fazer as fichas dos personagens. Essa parte é manuscrita! Só então volto para continuar a escrever, me impondo metas de palavras diárias. A revisão e edição só vem quando termino de escrever tudo.

Você pode também pode acompanhar em tempo real o meu Diário de Escrita.

2) Você teve algum bloqueio durante o processo de escrita? Como superou?

A vida é um bloqueio de escritor! Ahahaha. Sério, se você esperar ter inspiração ou alguma coisa assim, você NUNCA vai sentar e escrever. Quando não consigo continuar a história da onde parei, eu tento duas coisas: 1) ver se uma outra abordagem consegue fazer a história andar; 2) escrever algo paralelo dentro do mesmo mundo, como um ponto de vista diferente. Normalmente as duas funcionam. Só não vale desistir e ir pro tumblr.

3) Qual a parte mais difícil de publicar uma obra em nosso país?

Eu não sei se minha experiência pode ser considerada padrão, por eu ter uma agente literária e ser iniciante e tudo o mais, então por favor, tenham ressalvas! A parte de encontrar uma editora não foi tão difícil para mim, porque a Gui (minha agente) fez esse trabalho de contato e tudo o mais. Dado o aviso, vamos para a resposta da pergunta propriamente dita: eu acho que a parte mais difícil é a divulgação (e isso respinga na publicação, como vou explicar depois). Você precisa atingir o público, mas nem sempre ele é receptivo. A divulgação na internet é legal porque atinge várias pessoas em vários estados, mas não atinge todo mundo que possa estar interessado no seu livro. Também não tem como deixar a peteca cair e parar de divulgar, porque aí vão esquecer do seu livro! E você não quer que isso aconteça, né? Nesse aspecto, um livro nacional sai em desvantagem porque um livro que foi lançado em outro país, sabe? As pessoas já ouviram falar, ele já foi testado no mercado, a editora sabe que ele funciona e como se aproximar do público-alvo. Por isso às vezes é difícil encontrar editora, porque elas não querem arriscar. Por que tentar descobrir a forma de vender um livro se eu tenho esse aqui que é best-seller em 50 países? Para quem quer ser publicado, a minha sugestão é que se informe direitinho sobre como submeter originais para editoras porque a maior parte delas recebe. A gente está, felizmente, num período de mudança e a chance é AGORA. Os autores nacionais fazem cada vez mais sucesso, com mais retorno, então as editoras estão procurando por novas apostas nacionais. Tem que aproveitar essa janela!

Vida Pessoal

1) Por que é que você tem tanto nick na internet? Bell, mecutuca, Beli, Bárbara…

Aii, vamos por partes. Beli e Bell vem do mesmo lugar, que era meu nick quando eu tinha uns 13 anos. Meu mangá favorito é Angel Sanctuary e lá tem uma personagem chamada Mad Hatter que é um anjo caído e o nome real dela é Belial. Por favor, não procurem Belial no google porque vocês vão achar um demônio. É sério, ahaha. Enfim, Belial era um nick muito grande, então o pessoal logo começou a me chamar de Beli e, depois, com mais preguiça ainda, de Bell. Ficou desde então.

O mecutuca vem do meu antigo username do twitter. Quando fui fazer um, em 2008-2009, tentei todas as variações do meu nome e do meu nick, sem sucesso. Daí eu pensei “será que tem mecutuca?” e, voi lá, não tinha! Foram vários anos usando esse username até que tive que trocar para barbaraescreve para ficar mais fácil de vocês me acharem 🙁

Bárbara é o nome da minha avó paterna, mas mamãe juura que sempre quis ter uma filha com esse nome, desde criança. Quando eu nasci, quase fui Luana e Camila, mas papai escolheu Bárbara. As pessoas não me chamam de Babi, que é um apelido comum para Bárbaras, mas de Bá 🙂

2) Você fez economia e escreve livros? Que história é essa que você fez Engenharia Elétrica? Que doido.

É, pois é. No ensino médio, minhas duas matérias favoritas eram História e Física e, na hora de fazer o vestibular, fiquei em dúvida entre Letras, Relações Internacionais e Engenharia Elétrica. No final optei por Elétrica, mas depois de dois anos no curso, reparei que aquilo não era para mim. Foi difícil admitir isso, na verdade, mas felizmente minha família me apoiou. Nem todas as família são tão compreensivas assim, embora seja muito comum não acertar o curso da faculdade de primeira. A gente faz essa escolha muito novo e nem sempre tem informação suficiente para saber se o curso é realmente como disseram. Enfim, quando fui estudar minhas opções, vi que a Economia combinava bastante com o meu perfil.

Sobre estudar economia e escrever livros, não acho que uma coisa exclua a outra.

Parcerias com Blogs e Livros Autografados

 1) Oi! Adorei a ideia do seu livro e tenho um blog, você faz parcerias?

Não. Eu não faço parcerias com blogs porque não tenho exemplares para atender todas as pessoas que entram em contato comigo. Caso você tenha interesse em parceria, deve contactar a Editora Gutenberg, que é responsável por essa parte de divulgação do livro. Mas se você quiser fazer uma entrevista ou um guest post, é só entrar em contato que fico super feliz em ajudar!

2) Eu queria muito os seus livros autografados, você me vende?

 Da mesma forma como não tenho exemplares para atender aos pedidos, também não tenho exemplares o suficiente para atender a demanda de livros autografados. Além disso, eu sou enrolada DEMAIS para fazer tarefas simples como embalar um livro e enviá-lo pelos Correios, então preciso me organizar para fazer isso de forma eficiente antes de começar a vender livros autografados. Estou trabalhando nisso! Quem sabe até o lançamento do terceiro natal eu não comece a vender?

Última atualização: 02/07/17